A CHAVE


Por que me pedes a chave

se tenho a alma aberta,
sem direção certa,
sem portas, 
sem área  coberta,
e com janelas para todos os ângulos  do firmamento?
E na liberdade do meu pensamento,
dança a Poesia em asas se luz
enquanto a escuridão rasteja.

Mas... Olhe bem, e veja, 
que apesar de embriagados,
os meus olhos não  chegam à  exaustão 
e nem pedem perdão 
                                                                                                                                                                                   por terem bebido todas as estrelas!


                                                                                                     Lúcia Barcelos 








NÃO ESTA A FIM DE LER? A GENTE LÊ PARA VOCÊ: 

CLIQUE NO LINK E OUÇA O POEMA ... Bye,byeeeee...








Comentários

  1. Parabéns Lúcia, que lindo!! Me embriaguei nos teus versos. Bjs. Marilene

    ResponderExcluir
  2. Muito sensível e delicioso de saborear! Parabéns @

    ResponderExcluir

Postar um comentário