DAS MULHERES, DAS MUDANÇAS E DA LOUCURA

DSM-5 ajuda a perpetuar mito da loucura feminina
Imagem: Yoshie Nakagawa/Wikimedia
"Hoje nós não trancamos mais as mulheres por comportamento feminino ou por descontentamento conjugal - em vez disso, nós a colocamos em uma camisa de força química e prescrevemos medicações psicotrópicas" www.diariodasaude.com.br



A melhor coisa que fez por ela foi chamá-la  de louca. Sim, sempre foi louca: por viver uma vida que fosse sua. Uma vida criada por ela e não estuprada por outros.  Louca por música, poesia e cinema, por amar e de amor. Louca pelo sol, pelas pedras de Drummond.
Pelo caminho de pedras e luzes vai perguntando e respondendo a si mesma: qual mulher não é louca?  Que seja por um  empurrãozinho da vida. Sabe aquele que nos aperta quando a gente quer ficar ali, quietinha, no mesmo lugar pra todo o sempre?   Seja por causa dos sonhos ou  tropeços.  Até a mais certinha, em algum momento, se não foi, desejou ser ou é e pensa que esconde ser...

Sabe o que mais? Ajoelha e reza,menina, por ser louca!  Seja louca por mudanças, mesmo as externas, mas principalmente as de dentro. Pelas conquistas e pela capacidade de mudar. Mudanças de opinião sobre o que é ser louca, porque não?
Mude os sonhos, os amores, os sentimentos. Mude a cor do cabelo, o batom, o namorado. Mude de casa, de cidade, de país. Mude o olhar ...

À  sua louca ai de dentro diga que não deixe o medo paralisar a vida. Pois os tombos  são o combustível e a melhor  verdade que terá consigo quando o cara lá de cima marcar o voo de ida pra perto dele...   

"Será que o inferno fica perto do céu?"

A vida poderia ser mais leve se nos fosse ensinado que as mudanças são parte do caminho e do crescimento, mas ninguém nasceu com o manual.

“Que geração de mulheres sofridas e loucas essa nossa (as de 50)”, disse a amiga.  Talvez não seja exatamente assim. Talvez seja: que mulheres guerreiras e transformadoras essas loucas de 50! Uau! 

Descobriram que mudanças são necessárias, que botar o dedo na cara do problema e partir para o trabalho de transformar é muito mais duro, é verdade. Entretanto,  foi  e é necessário àquelas que estão chegando, ainda que não saibam de nós, saberão das nossas batalhas e das guerras vencidas por e para elas.

Gratidão às loucas  que abriram esse caminho para as atuais mudanças e gratidão às do futuro que continuarão por nós; mudando o rumo ao infinito de maravilhosas possibilidades.
Saberão que, graças a coragem de mudar, terão dias melhores e mais possíveis para sorrir.
Terão o respeito como palavra chave da sua existência.
Sentirão grande amor próprio e serão livres a decidir pelo seu melhor parceiro e não o seu algoz.
Preparadas para comandar com a força de uma guerreira e a doçura de uma deusa louca.
Não serão adversárias, mas complementares dos homens. Em equilíbrio perfeito, trabalharão juntos por todas as mudanças ainda necessárias, pois o tempo não para, a vida não para e a alma não descansa.

A vida é assim, nascer e renascer sempre com elas, as mudanças.

Mudar dói, mas é imperativo que aconteça.



Do Livro: Terceira Pessoa, 2015-2018


Mulher ao espelho


Hoje que seja esta ou aquela,
pouco me importa.
Quero apenas parecer bela,
pois, seja qual for, estou morta.

Já fui loura, já fui morena,
já fui Margarida e Beatriz.
Já fui Maria e Madalena.
Só não pude ser como quis.

Que mal faz, esta cor fingida
do meu cabelo, e do meu rosto,
se tudo é tinta: o mundo, a vida,
o contentamento, o desgosto?

Por fora, serei como queira
a moda, que me vai matando.
Que me levem pele e caveira
ao nada, não me importa quando.

Mas quem viu, tão dilacerados,
olhos, braços e sonhos seu
se morreu pelos seus pecados,
falará com Deus.

Falará, coberta de luzes,
do alto penteado ao rubro artelho.
Porque uns expiram sobre cruzes,
outros, buscando-se no espelho.


Cecília Meireles





Comentários