A PALAVRA MANIFESTO


"O amor é a capacidade de perceber o semelhante no dessemelhante".Theodor Adorno.



Cenas medievais acontecem por todos os cantos do mundo. Todavia, ainda acredito na palavra como forma de protesto e resistência...Mas principalmente na palavra, quando manifesto, do nosso Amor que precisa florir. 


Theodor Adorno, filósofo alemão, sociólogo, musicólogo e crítico musical, um dos maiores críticos da degradação humana gerada pelo capitalismo, dizia que a psicologia precede a política. Não está, aqui, em questão o julgamento de "A ou B", pois não cabe a nós seres mortais e imperfeitos julgar o outro. O fato é que atitudes degradantes, degradam a todos nós. Nós construímos essa sociedade violenta e temos a obrigação de conserta-la.


Foi nesse mundo que plantamos nossas sementes. Não são as grades de condomínios de luxo, não são os carros blindados, não são as influências políticas que as vão salvar... Precisamos acordar para o Todo, pois do contrário nunca seremos Uno. 

O Natal virá, a Páscoa passou. Quem sabe recomeçamos? Quem sabe esse menino Jesus renasça nos corações todos os dias e não apenas no dia 25 de dezembro? Quem sabe deixamos as lojas, os shoppings e olhamos para o lado e estendemos as mãos para o conhecimento, para a educação, para a nossa cultura, para o outro, o nosso desconhecido? Afinal, aquele menino, a quem crucificamos um dia perguntou: "Quem são meus pais, quem são meus irmãos?" 

A resposta pode ser muito mais ampla daquela que conseguimos vislumbrar. Cada vez que agredimos o outro, nós o crucificamos outra vez. E nos tornamos mais hipócritas a cada natal!


Por: Darcila Rodrigues 

Comentários