TEORIA LITERÁRIA: SOBRE O ESCREVER

Queridos leitores do Blog Oficina do Verso, em fase final de seleção de textos e organização do livro Oficina do Verso, vol. I, este "quintal de mistérios" de Joaquim Moncks, deparei com esta Prosa Poética que tão bem exemplifica (se é que isto é possível: exemplificar a criatividade e a genialidade de um autor) a alma do livro. Sendo assim, não poderia deixar de partilhar com todos o texto "Sobre o Escrever". Percebam que ele brinca com a metaforização sem que, de fato, quanto ao rigor estético, encontremos um poema. No entanto, Moncks não permite que a dama da Poesia se afaste. E esse amor entre eles (JM e a metáfora) é tão simbiótico que já não consigo separar um do outro e quase que perco de vista o poeta nalgum dos “seus sótãos de mistérios”... Vamos a mais uma viagem com o Poetinha? 

Por: Darcila Rodrigues 




Sobre o Escrever



Joaquim Moncks


Escrever é um ato compulsivo, uma condenação. A Poesia é o que mais me impressiona na dimensão humana – a temática do espanto... Não consigo deixar de refletir e me atrever a tentar abrir alguma janela desse sótão de mistérios. Talvez – com esse sentir – minimize e transfigure o olhar através dos porões das tristezas e maledicências do mundo real. Através do ato da escrita e a vivificação das ideias, encontro companheiros de viagem. Pode-se concluir que se torna mais fácil suportar o reduto dos fatos e suas sequelas. Mourejar nestes quintais do mistério é trazer o futuro na algibeira...



Para O livro Oficina do Verso, 2015-2016

Comentários