Dia do Poeta

Um mago, um alquimista das palavras, o Poeta é tudo isso, ele acende nosso mundo e retirá-nos da mesmice, nos convida a pensar e a co-existir no fascínio de sua criação, de cada palavra que ele pinta. 
A revistabrasil.tv homenageia a todos os poetas com mais um belo poema do ¨Poetinha¨, Joaquim Moncks.  Obrigada Poeta, obrigada a todos os ¨Fingidores¨ que dedicam sua solidão a nós leitores.






A NAU DOS CANSAÇOS

Em meio a tantas turbulências tu és o tudo: a nave das alegrias. Este é o gozoso labirinto em que se espraia o jogo, quando vens desejosa de momentos. Sou um lírico à antiga, aquele que a tudo agradece como fora um monge, arrojado ao solo em agradecimento. Por vezes, é do cansaço das tentativas que nasce o dia justo de temperanças. E ouço no coração o cantar dos pássaros. A paixão dá-me a precisa confidência: o canto tormentoso de sua possessa e estridente fala. E a inquietude faz o poema e amanhece doce o dia, que é este o único festim de futuros. Este alvorecer cochicha ao vento que o amar nos faz puros na esquina do dia de viver. O temor da perda assinala o cansaço. Sempre bebemos água na fonte dos desassossegos.

– Do livro O CAPITAL DAS HORAS, 2014.
http://www.recantodasletras.com.br/prosapoetica/5005014
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 20/10/2014
Reeditado em 20/10/2014
Código do texto: T5005014